LAUDO SPDA (Sistema de Proteção contra Descargas Atmosféricas) | Para-Raios.

Adequação das instalações elétricas conforme NBR 5419 e NR 10.

 

ADEQUAÇÕES DAS INSTALAÇÕES ELÉTRICAS CONFORME NORMAS NBR 5410, NBR 14039, NBR 5419 E NR-10.

A Norma que regulamenta o SPDA é a NBR 5419/2015 e conforme o código de defesa do consumidor (lei federal), na seção IV-no artigo 39 inciso 8 todo o serviço ou fornecimento de material deverá atender ás exigências das normas da ABNT. A norma NR10, norma regulamentadora do ministério do trabalho, exige que todas as edificações possuam SPDA.

 

Basicamente existem dois tipos de proteção

- Proteção SPDA Estrutural

- Proteção SPDA Externo

 

Etapas do Projeto de SPDA (em acordo com a NBR5419/ABNT)

Em um projeto de Captores para um SPDA, podemos usar os seguintes métodos:

- Proteção (Método Franklin)

- Proteção (Método Gaiola de Faraday)

- e/ou Ambos.

 

1. Parametros da edificação (comprimento, largura, altura, Nº de dias de Trovoadas por ano);

 

2. Tipo de ocupação da edificação ( Casas e outras estruturas de porte equivalente, Casas e outras estruturas de porte equivalente com antena externa, Fábricas oficinas e laboratórios, Edifícios de escritórios, hoteis e apartamentos, e outros edifícios residenciais não incluidos abaixo, Locais de afluência de público (p. ex.:igrejas, pavilhões, teatros, museus, exposições, lojas de departamento, correios, estações e aeroportos, estádios de esportes), Escolas, hospitais, creches e outras instituições, estruturas de múltiplas atividades.

 

3. Tipo de construção da edificação (Estruturas de aço revestida, com cobertura não-metálica, Estrutura de concreto armado, com cobertura não-metálica, Estrutura de aço revestida, ou de concreto armado, com cobertura metálica, Estrutura de alvenaria ou concreto simples, com qualquer cobertura exceto metálica ou de palha, Estrutura de madeira, ou revestida de madeira, com qualquer cobertura exceto metálica ou de palha, Estrutura de madeira, alvenaria ou concreto simples, com cobertura metálica, Qualquer estrutura com teto de palha);

 

4. Conteúdo da estrutura e efeitos indiretos das descargas atmosféricas (Residências comuns, edifícios de escritórios, fábricas e oficinas que não contenham objetos de valor ou particularmente suscetíveis a danos, Estruturas industriais e agrícolas contendo objetos particularmente suscetíveis a danos, Subestações de energia elétrica, usinas de gás, centrais telefônicas, estações de rádio, Indústrias estratégicas, monumentos antigos e prédios históricos, museus, galerias de arte e outras estruturas com objetos de valor especial, Escolas, hospitais, creches e outras instituições, locais de afluência de público);

 

5. Localização da estrutura (Estrutura localizada em uma grande área contendo estruturas ou árvores da mesma altura ou mais altas (p. ex.: em grandes cidades ou em florestas), Estrutura localizada em uma área contendo poucas estruturas ou árvores de altura similar, Estrutura completamente isolada, ou que ultrapassa, no mínimo, duas vezes a altura de estruturas ou ávores próximas).

 

6. Topografia da região (Planície, Elevação moderadas, colinas, Montanhas entre 300 m e 900 m, Montanhas acima de 900 m).

 

7. Seleção do Nível de proteção (Devemos selecionar qual o nível de proteção exigido para a edificação que queremos proteger.; 

 

8. Seleção do método de proteção e definição do espaçamento entre descidas (Definido o Nível de proteção, deve-se escolher o método a ser utilizado e o espaçamento entre os condutores de descida.);

 

9. Seleção de material dos condutores e definição de suas Seções ( definidos os parâmetros anteriores, devemos agora definir o tipo de condutor e consequentemente a seção (área) deste condutor.);

 

10. Algumas instalações exigem atenção especial quanto ao seu conteúdo, principalmente instalações com materiais potencialmente inflamáveis (micro fibras suspensas e pós de grãos), pois a elevação de Temperatura no telhado ou centelhamento entre estruturas pode desencadear um incêndio, com conseqüências desastrosas.

 

Subsistemas

A seguir observamos os vários subsistemas em um sistema de proteção contra descarga atmosférica existente em um prédio:

1.Captação (por cima):

Condutor por cima da platibanda percorrendo todas as periferias dos diferentes níveis horizontais.

2.Captação(na lateral):

Condutor na lateral externa da platibanda percorrendo todas as periferias horizontais .

3.Descidas: Condutores verticais dispostos preferencialmente nas quinas da edificação e distribuídas pelo perímetro da edificação obedecendo ao espaçamento especificado na tabela 2.

4.Anéis de Cintamento Horizontal (captação lateral): Condutores horizontais com seção mínima de 35mm, instalados a cada 20 metros de altura, percorrendo a periferia externa do prédio e interligando as descidas .

5.Malha de Aterramento: Cabo de cobre nu, com seção mínima de #50mm, circundando a periferia do prédio no subsolo, distando aproximadamente 1m da edificação, enterrado a 0,5m de profundidade e conectado no mínimo a uma haste “Copperweld” de alta camada para cada descida. Esta conexão deverá ser de preferência com solda exotérmica.

6.Equalização de Potenciais:

Interligação de todas as malhas de aterramento e massas metálicas na referência do SPDA, através de uma caixa de equalização. Deverão ser realizadas no subsolo e a cada 20 metros de altura, coincidindo com os anéis de cintamento. Horizontal.

 

(guaritas, caixas d´água baixas, casas residencias baixas e pequenas) pode ser usado o método franklin ou eletrogeométrico, pois são muito próximos (sistema isolado ou não isolado). Para edificações altas ou extensas horizontalmente (prédios ou galpões) o mais indicado é o método gaiola de faraday, tanto pelos custos quanto pela estética e manutenção.

SPDA Estrutural - Laudo SPDA, Para-Raios | KV Ensaios, Manutenção, Testes e Ensaios elétricos nr10, NBR5419